Pensar antes de agir vs Agir antes de Pensar - Juliana Infurna

Blog Posts

Pensar antes de agir vs Agir antes de Pensar

Pensar antes de agir vs Agir antes de Pensar

Sempre nos ensinaram a refletir muito antes de agir e hoje quero provocar um pouco isso. Será mesmo que pensar antes de agir sempre funciona? Você seguramente já tomou decisões enfáticas no passado por instinto, talvez tenha se arrependido logo em seguida, mas no o decorrer dos anos, talvez tenha se dado conta que fez o que tinha que ser feito.

Eu sou coach e o ato de pensar, traçar metas, planejar e agir racionalmente faz parte do meu dia a dia, mas… é importante identificar o quanto a nossa mente racional pode estar nos enganando. Ela não faz isso por mal ok, ela só foi condicionada através do tempo a agir de acordo com certas crenças e condicionamentos negativos, dos mais variados, aos clássicos “eu não sou bom o suficiente”, “eu não sou digno”, “eu não sou capaz” ou de simplesmente “tenho medo de mudar”.

Existem várias teorias em torno do motivo pelo qual essas crenças assolam as pessoas, mas isso é assunto para outro texto.

Esses condicionamentos são resultado de pensamentos sucessivos que temos em relação a nós mesmos. O ato de pensar é o primeiro ato de criação da nossa realidade, seja num ponto de vista metafísico quanto físico em si. Os pensamentos se arraigam em nossa mente gerando um padrão emocional e comportamental inconsciente do qual muitas vezes nem nos damos conta.

Se você despertou para a necessidade de vigiar seus pensamentos e observar quais deles advém do medo e sente a necessidade de transmutá-los pois sente que eles bloqueiam o seu próximo passo, eu tenho algumas sugestões para lhe passar. Afinal, muitas das suas crenças foram enraizadas em sua mente por sujeições de outrem, obviamente por seu libre arbítrio, mas ainda muito jovem, muitas delas nem te pertencem. Vamos assumir o controle do funcionamento da nossa mente, e espero lhe ajudar nesse processo.

Sua mente se acostumou a pensar da forma que pensa, seus pensamentos, emoções e consequentemente ações já se tornaram hábitos, logo, é preciso romper o padrão. Tudo pode estar “bem”, confortável, com esses condicionamentos e é por isso que esmagadora maioria opta por quebrar esse elo somente quando algo realmente ruim acontece com elas. Mas a boa notícia é que conseguimos fazê-lo sem precisarmos sofrer, basta querer… afinal, tudo começa com uma semente chamada: intenção.

Um pensamento negativo enraizado pode ter o elo quebrado invertendo o padrão. Isso mesmo, substituindo o antigo pelo seu antagônico e invertendo a ordem: se seus pensamentos criam suas emoções e ações, passe a agir antes de pensar. Isso porque ao surgir o ímpeto de agir diferente, se você pensar antes de agir, sua mente seguramente o dissuadirá, simplesmente porque ela está no piloto automático e qualquer mudança gerará um estresse que será assimilado inicialmente com resistência. É assim que funcionamos, nossa natureza primordial é resistir às mudanças.

Logo, se uma ideia ou um ímpeto surgir, aja. Pode ser da menor à maior atitude, desde a anotar algo, assumir um compromisso, falar com aquela pessoa, expressar-se, tomar atitudes, etc. Menos mente e mais ação. Se dermos ouvido ao murmurinho interno e a como nos sentimos em relação àquilo, dificilmente sairemos dos padrões que queremos mudar. Agindo e saindo da sua zona de conforto, você começa a treinar a sua mente a desenvolver novos hábitos de pensamento.

Sobre afirmar pensamentos contrários… a intenção por trás desses novos pensamentos é crucial nesse processo de mudança de padrões e manifestação da realidade intencionada. Afinal, se você não acredita que é “digno” e “capaz”, de nada adianta mudarmos nossos pensamentos e afirma-los. Primeiramente é preciso se conectar com seus pensamentos mais elevados sobre si mesmo e podemos fazer isso de diversas formas, uma que funciona para mim é a Gratidão, pois quando somos gratos, nos reconectamos com o que há de melhor em nós, sentimos que somos sim dignos de amor e abundância, e sobretudo capaz de criarmos a vida que desejamos.

Outra maneira de mudar a intenção por trás dos pensamentos que você deseja mudar é buscar satisfazer os desejos da sua alma, que se comunica com você através do seu coração. Sua alma é puro amor. Busque o que faz o seu coração feliz, satisfaça-o, eleve sua frequência ao fazê-lo. Caso não se recorde mais, sua criança interior o sabe.

Depois, crie a sua realidade, faça-o afirmando esses pensamentos, incorporando a realidade desejada como se ela já existisse, expresse-os através de palavras, ditas e escritas, detalhadamente, desenhe, ilustre, mande uma mensagem exata do que você deseja. Foque, seja consistente, o foco é chave para manifestar a sua realidade. Aja de acordo, de nada adianta desejarmos algo se nossas atitudes são incongruentes, é preciso conexão: da sua alma até suas atitudes, afinal, acredito que estamos todos aqui para nos recordar do que nossa alma já sabe e criar nossa melhor versão para nós mesmos e para o mundo.

Os deixo com uma frase do Neal Donald Walsch que resume exatamente o que desejo passar-lhes ao final desse texto.

“A função da alma é indicar o seu desejo, não impô-lo.
A função da mente é escolher entre as suas alternativas.
A função do corpo é agir de acordo com essa escolha.
Quando o corpo, a mente e a alma criam juntos, em harmonia e união, Deus se faz carne.
Então a alma se conhece experimentalmente.
E Deus se regozija

Fiquem em paz.

Convido você a fazer parte da minha lista interna de leitores. Basta cadastrar o seu e-mail no formulário abaixo.

* indicates required



Abraços e até a próxima!

“O segredo está no movimento”

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: