Os 7 princípios herméticos (O que são e como usá-los) - Juliana Infurna

Blog Posts

Os 7 princípios herméticos (O que são e como usá-los)

Os 7 princípios herméticos, o que são e como usá-los.

Quando me perguntam qual é a minha religião, eu respondo que não tenho, mas que acredito em Deus (Criador), no amor e na espiritualidade. Pelas minhas andanças, eu frequentei inúmeras casas de luz de diversas religiões e adoro estudar os ensinamentos dos mestres que estiveram entre nós, independente das religiões que foram criadas em cima deles.

Mesmo assim, tudo que leio ou escuto, eu valido com o meu coração. Separo aquilo que faz sentido para mim do que não faz. Alguns ensinamentos de 15 anos já não cabem mais em meu Ser, pois eu mudei… já não sou mais a mesma. A espiritualidade é uma jornada individual, somente aquilo que a alma está pronta para compreender, será de fato assimilado e incorporado. Não existe certo ou errado, a única verdade é o Amor e válidos são todos os caminhos que nos levam a ele.

Sobre caminhos… algumas almas sentirão mais afinidade com uns, com uma egrégora específica, seja por identificação, por resgate, por missão, etc. No meu caso específico, houve uma identificação (desde criança) e resgate (já adulta) muito forte envolvendo a Alquimia.

Alquimia não é uma religião (particularmente eu acho que as religiões nos limitam, pois são crenças que se originam da mente de um homem), é uma ciência hermética, muito antiga, que parte da observação da natureza. O homem se autoconhece pela sua correspondência com a natureza. O micro é igual ao macro, o macro é igual ao micro.

Neste Artigo conversaremos superficialmente sobre este conhecimento.
Vamos conhecer juntos os 7 princípios da filosofia hermética.

Hermético advém de Hermes Trismegistus (em grego) ou Thoth Tehuti (em egípcio), considerado o mensageiro de Deus, pai da Ciência Oculta, descobridor da Alquimia e da Astrologia.
Os princípios são universais, leis naturais, imutáveis que regem o macro e o micro.

Vamos lá:

#1 Mentalismo
O 1º princípio é na minha opinião o principal que rege a verdade de que: Tudo é Mente, o Todo é Mental. Tudo na Criação é uma manifestação da Mente (instrumento pelo qual se pensa). Tudo o que nos cerca é resultado de um estado mental que o precede. O pensamento precede a manifestação. O universo em si é um pensamento na mente do Criador. Sendo assim, os pensamentos criam condições, os pensamentos são o primeiro passo para manifestar uma realidade. Os pensamentos determinam a nossa existência e a qualidade com a qual existiremos. Pensar é criar. Sua conduta mental pode alterar sua experiência aqui na Terra, transmuta-la, para você e para os outros. Criamos nossa realidade individual e coletivamente.
Partindo desse princípio do Mentalismo podemos entender a importância de assumirmos a responsabilidade sobre nossos pensamentos, porém, ainda mais importante conhecermos nossa natureza mental individual (concreta e abstrata), compreender suas limitações, nos autoconhecermos a ponto de entender o que nos dirige, ampliar nossa consciência ao criar um estado de observação: entender o que faz você pensar como pensa, fazer o que você faz (uma visita ao seu sistema de crenças e modus operandi inconsciente). Para então, aos poucos, deliberar sobre o seu processo cognitivo sob uma ótica mais dilatada e consciente. Para mudar uma realidade é preciso mudar a realidade dos seus pensamentos. Pensamentos são ímãs que dirigem suas emoções e comportamento.
#2 Correspondência
Princípio que rege a verdade de que: O que está em cima é como o que está embaixo, o que está embaixo é como o que está em cima. As leis que regem o macro, regem o micro. “Assim na Terra como no Céu”. Princípio que une todas as coisas. Não há separação. O TODO está contido na menor parte, assim como a menor parte está contido no todo. Como um espelho, em igual ou similar reflexo.
Conforme nos autoconhecemos, conhecemos o universo e vice e versa. Princípio base da Alquimia e Astrologia. O universo está contido dentro do Ser e o universo é como o Ser. Nossa realidade é fractal na natureza: a estrutura de um átomo é similar a do sistema solar, sequência Fibonacci, por exemplo.
Este princípio nos traz a ideia de que somos parte do Todo, estamos contidos, não há separação. Somos poeira de estrela, feitos a imagem e semelhança do Criador.
Na prática, ao observarmos a Natureza compreendemos a nossa natureza primordial. Como o macro nos impacta e como impactamos o micro. A busca pela integração do homem a sua natureza primordial.
Para compreender melhor este Princípio, assistam estes vídeos abaixo.
1. Potências de Dez (1977): https://www.youtube.com/watch?v=nj8pBzZY-cg
2. Mundos internos x Mundos externos: https://www.youtube.com/watch?v=n5zL428AxGg.
#3 Vibração
Princípio que rege a verdade que: Nada está parado. Tudo está em movimento, em vibração. O universo e tudo o que o inclui é pura energia em vibração manifestada de diferentes formas.
“Se você quiser descobrir os segredos do Universo, pense em termos de energia, frequência e vibração”. Nikola Tesla
Não há nada no universo que esteja estagnado. A morte, como conhecemos, é uma ilusão pois a morte significaria cessar a vibração e isso não é possível. Não há solidez da forma que imaginamos, no nível do átomo, está tudo em movimento. Absolutamente tudo é energia.
Somos energia tendo uma experiência humana, logo material (numa frequência inerente ao plano físico do planeta Terra) para evoluirmos em consciência, tendo em vista que o Todo é Mente.
O estado vibratório de um Ser representa seu estado emocional. Optamos por aprender num universo de dualidade (experimentando polaridades opostas de uma mesma coisa) para conhecer a verdade, que é: o Amor incondicional (Ágape). Qualquer energia que nos aproxime do Amor, eleva nossa vibração e nos situa de maneira favorável na matéria do amar nesta escola chamada Terra.
Dentro do Ser existe um gerador de amor, depositado em seu coração, em seu chakra cardíaco. As respostas que você busca encontram-se no caminho em direção ao seu coração. Se tudo é energia, estamos trocando o tempo todo, escolher consciente as trocas que faremos nos ajuda na jornada: relacionamentos, ambientes, hábitos, etc.
#4 Polaridade
Princípio que nos ensina que: tudo é dual, tudo possui polos com muitos graus de diferença entre seus extremos, tudo possui o seu par de opostos. Os opostos são idênticos em natureza, porém diferentes em graus. Exemplo: o que diferencia o calor do frio são diferentes graus de uma mesma escala, sendo assim, ausência e presença da energia de calor. No nosso nível de percepção eles são opostos, porém, num nível fundamental, são a mesma coisa. Os paradoxos podem e devem ser reconciliados, em algum nível. Neste nível, no plano físico, como disse anteriormente, precisamos lidar e aprender com os paradoxos. Eu, hoje enquanto escrevo estas linhas, não acredito que esta reconciliação seja possível no plano da matéria, pois os opostos fazem parte da nossa experiência humana – experimentar a polaridade oposta daquilo que vivenciamos e desejamos transmutar é a Cura, que nos retorna ao Amor. A chave residiria em como desejamos nos polarizar energeticamente, para ganharmos uma vantagem compensatória diante dos Ritmos inerentes a Vida (neutralização). Novamente, tudo aquilo que o aproxima do coração, situa você de forma favorável. A meditação é uma importante ferramenta pois, nos dias de hoje, é um caminho para reatar os laços com sua intuição (seu canal de comunicação com seu coração).  
#5 Ritmo
Princípio que nos diz que tudo tem um ritmo, um balanço, um ciclo, um fluxo, que vai e volta, que sobe e desce. O movimento pendular está manifestado em tudo. O balanço para a direita será o mesmo para a esquerda (seu lado oposto). O Ritmo compensa. O movimento pendular é uma tendência natural podendo ser superado por altos níveis de consciência. É possível remar contra uma maré, mas para isso precisaremos de um pouco mais de energia. O que retrata os tempos atuais, densos energeticamente, onde existe uma tendência para não expandirmos nossa consciência e que para fazê-lo será necessária mais força, vontade e ativação. Estamos na Kaliyuga, era de ferro, densa, em que naturalmente demanda mais energia para levarmos o balanço “a tendência” para sua direção oposta.
Minha leitura em relação aos Ritmos atuais da consciência humana e do planeta Terra, é que estamos nos aproximando da ponta de um polo e que em breve passaremos a nos movimentar em sua direção oposta, pois existe sim, uma grande dificuldade para se elevar o nível de consciência, mas ao mesmo vemos brotar um desejo ardente nos indivíduos por expandi-la.
O Ritmo compensa em seus balanços, sendo assim, tudo passa. Como o balanço é de igual medida para ambos os lados (opostos), quanto maior a capacidade de um Ser de amar, também será sua capacidade de ser triste e aí reside o potencial das transformações: as situações mais difíceis da vida são aquelas onde residem o maior potencial de transformação. A forma com a qual decidimos nos posicionar energeticamente perante os desafios é a chave, todo aprendizado é um meio para você decidir como se auto realizará.
No mais, resistir a tendência do Ritmo demanda mais energia, também estagna. Precisamos aprender a fluir nas energias dos ciclos e nos polarizar a ponto de neutralizarmos a oscilação pendular que nos leva para um polo oposto daquele que desejamos estar.
#6 Causa e efeito
Toda causa tem seu efeito e todo efeito tem sua causa. Não existem coincidências. O acaso nada mais é do que o desconhecimento sobre esta lei. Para toda ação: uma reação. “O que fazemos agora, ecoa pela eternidade” Maximus 😊
O presente é um resultado de efeitos de causas passadas. Toda energia que você emana, seja pensamentos, emoções, atitudes, terá um efeito. O livre arbítrio do Ser está sujeito a este princípio, operando dentro dos parâmetros das leis naturais. Consequências são geradas através das nossas escolhas. A causa é movimentada e seu efeito será manifestado dentro de um intervalo de tempo, que é necessário para que todas as circunstâncias e rearranjos sejam providenciados, pela inteligência universal, para sua manifestação. Este princípio traz luz sobre assuntos como reencarnação e karma.
Importante trabalharmos em novas causas, proativamente. Até que ponto estamos sofrendo coletivamente efeitos advindos de causas de nossa própria inação perante os erros que a humanidade vem cometendo repetitivamente ao longo do tempo?
Tomando este princípio como base, se questionar: Por que isto está acontecendo comigo? Quais são as causas? Sobretudo quando os efeitos possuem um padrão repetitivo. Conhecer os motivos das causas dos efeitos da vida o libertará e nos libertará coletivamente. Autoconhecimento e expansão de consciência: as chaves. Não podemos mudar o presente, mas podemos construir um novo futuro, mas para isso, não podemos seguir na ignorância sobre os “por quês” que nos dirigem, individual e coletivamente. Atuar nas causas e não nos efeitos. A humanidade está presa nos efeitos, enquanto deveria estar, conscientemente, trabalhando nas causas. Atuar nas causas implica rever nossos pensamentos, emoções e atitudes – assumir responsabilidade sobre nossas vidas e fazer diferente. Infelizmente isso ainda é raro nos dias de hoje, porém, aí reside a esperança por uma colheita diferente.
#7 Gênero
O gênero se manifesta em tudo no universo. Os princípios masculino e feminino estão sempre em ação em todos os planos de existência: espiritual, mental e físico. Uma energia não se opera sem a outra. Todas as coisas e todas as pessoas possuem ambos os elementos deste princípio. As coisas macho possuem o elemento feminino e as coisas fêmea têm o elemento masculino. Sempre presentes e em ação em todas as fases dos fenômenos, em todos os planos da vida. Sexo é somente uma manifestação deste princípio no plano físico.
A energia masculina se caracteriza pela objetividade, ativação, razão e foco em uma direção. A feminina é subjetiva, emocional, receptiva, acolhedora, que nutre e estimula.
Num nível mental, é importante trabalharmos ambas energias. Nos dias de hoje, a humanidade vem operando muito pela mente masculina (hemisfério esquerdo) e negligenciando o outro lado, tão importante quanto. Elas não sobrepõem uma a outra, ambas são necessárias e precisam estar equilibradas.
Hemisfério esquerdo (Masculino): Pensamento lógico, racional, pensamento linear e analítico.
Hemisfério direito (Feminino): Intuição, pensamento holístico, criativo e compassivo.
Eu operei toda a minha vida dando mais ênfase a energia masculina e precisei de tempo para vivenciar o outro lado. A maternidade foi um importante de convite para eu visitar o meu feminino, o que foi crucial, sobretudo por estar manifestada fisicamente no feminino. Abaixo, deixo algumas dicas de como podemos exercitar ambos os lados:
Desenvolver a mente racional, hemisfério esquerdo:
Praticar a comunicação, oratória, linguística, narrativa em sequência lógica, memorização, raciocínio matemático, científico. Trabalhar a organização, os pormenores, gráficos, estatística, argumentação com dados. Usar a matemática e jogos com quebra-cabeças.
Desenvolver a mente intuitiva, hemisfério direito:
Praticar a empatia, a expressão corporal, o romantismo, contato com a natureza, trabalho cooperativo. Cultivar a inovação, exercitar a imaginação, a fantasia, estimular a criatividade. Se expressar através de alguma arte. Trabalhar o momento presente. Exercitar o desenho, o humor, fazer práticas de relaxamento, praticar a intuição, meditar, apreciar o silêncio, a arte e a beleza, etc.

Cada princípio é um universo particular. Recomendo aos estudiosos que se aprofundem na leitura do Caibalion (Os 3 iniciados), ou para uma leitura mais leve e prática, os 2 volumes de Alegria e Triunfo (Lourenço Prado).

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: